Buscar
  • fluffypetgeral

Gatos não são cães pequenos!

Este mês temos "tropeçado" muito - mais do que o normal - em temas de gatos: foi o nosso webinário "Aqui há Gato!", foram vários cat sittings e agendamentos de outros tantos, foram encontros e reencontros do gatos e gatinhos...

Assim, na hora de escolher um tema para este artigo, nada nos pareceu fazer mais sentido do que ... falar de gatos!



Se você tem um gatinho e quer ir de férias, a dada altura já pensou qual será a melhor opção para o seu felino aí de casa... Levá-lo consigo? Deixá-lo em casa? Colocá-lo em hotel?


Hoje em dia, o mercado é capaz de oferecer várias respostas a esta questão, mas nesta publicação vamos falar de cat sitting!

E, antes de avançarmos queremos deixar assente que gatos não são cães pequenos e precisam de uma resposta e cuidados específicos e direcionados à sua espécie e necessidades.

Claro que, tal como nos cães, cada gato é um gato, um indivíduo e não existem respostas universais. Porém, da nossa experiência, acreditamos que o que melhor funciona para os gatos é deixá-los em casa, no seu ambiente, com as suas mantas e caminhas.

Tal como mencionado, há gatos e gatos e, embora hajam bons hotéis felinos e gatos que gostem de ficar em hotéis, o que nos temos apercebido ao longo destes anos é que, na maior parte dos casos, os gatos ficam mais calmos e tranquilos, menos stressados, quando podem ficar em casa.



O serviço de cat sitting consiste nisso mesmo: o seu gatinho fica em casa e é o profissional que se desloca ao mesmo.

Na hora de escolher um cat sitter, opte por um profissional com formação, experiência e que lhe possa dar recomendações de outros clientes. Pesquise e investigue quantos e quais os cat sitters da sua zona, fale com eles e compare. Outra forma de pesquisar por um cat sitter, passa por pedir opinião/ recomendação a pessoas conhecidas (amigos, familiares, etc.) que já tenham recorrido ao serviço.


Note que, por norma, deverá haver sempre uma visita/ entrevista inicial, na qual poderá colocar todas as suas dúvidas, onde são ajustados todos os detalhes e pormenores do serviço e onde o gatinho poderá conhecer a pessoa que, posteriormente, irá cuidar dele.

(permitam-me fazer aqui um à parte, pois - e da minha experiência - nesta visita nem sempre o gato quer conhecer/ interagir a pessoa, mas esta é uma excelente oportunidade para colocar questões ao cat sitter e ver como ele lida com essa mesma situação).



Por norma, numa visita de cat sitter há coisas que é fundamental garantir. O profissinal deve garantir comida, água fresca, limpeza da caixa de areia, limpeza da área onde o gatinho está e atividade física, além de companhia, mimos e festas (aos gatos que gostam!). Dependendo do profissinal, podem ser realizadas pequenas tarefas como regar plantas, recolher correio da caixa de ctt e subir/descer persianas... tudo questões que pode acordar e ajustar na visita inicial).


Outra questão a ter emconsideração é o tipo de feedback que o profissinal dará ao cliente - será de forma diária? como? envia fotos? vídeos? Tudo isto são questões que devm ser esclarecidas e ficar acordadas na entrevista inicial.


Por fim, e não menos importante, outro aspeto a ter em conta é a empatia. A empatia que você sente pelo profissinal e que o seu gatinho sente por ele também.




Fluffy Pet - serviço de treino canino e pet sitting ao domicílio

960 160 170

www.fluffypet.pt

fluffypet.geral@gmail.com

Facebook | Instagram | Youtube

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo