Buscar
  • fluffypetgeral

Vamos passear?!

Passear o cão é muito mais do que lhe colocar a trela e sair porta fora.

Essa é uma parte do processo sim, mas talvez seja uma ínfima parte de todo o processo do passeio.


Para o bem dele, passear um cão é ajustarmos o nosso ser ao cão, é ajustar os nossos hábitos às idades de cada cão e ao estado de cada cão.


Passear um cão é perceber o ritmo de andamento dele e ajustar o nosso - se o cão anda mais devagar, desacelerarmos o ritmo; se ele anda mais rápido, acelerarmos ligeiramente nosso passo. Um cão que anda rápido e seja forçado a andar devagar certamente vai puxar mais na trela, vai ficar frustrado por não poder ter a sua liberdade; um cão que anda devagar e seja obrigado a andar mais rápido, vai puxar por si fisicamente e pode até, vir a sentir dor e desconforto, por isso é importante ajustar o nosso ritmo ritmo do cão.


Passear um cão é conseguir perceber a condição corporal dele.

Um cão obeso não deveria fazer exercício físico por muito tempo e o exercício deverá ser adequado a sua capacidade e à sua condição.

Um cão atlético, que esteja habituado a correr, a caminhar e a fazer exercício, pode precisar de um exercício mais desafiante.


Passear um cão é também perceber o que podemos fazer perante a idade do cão.

Um cachorrinho não deve passear muito tempo, não deve ser sujeito a grande intensidade de exercício físico.

Da mesma maneira que um sénior já não consegue caminhar durante duas horas seguidas como outrora e é preciso ajustar o exercício e a intensidade do mesmo ou do passeio.


Passear um cão é também garantir a sua segurança. É garantir que antes de o levarmos à rua, ele compreende que é um peitoral e uma trela, explicando-lhe da melhor forma, sem dor nem castigos, como é que tudo isto funciona. Passear um cão é garantir que ele não tem nada na boca e se apanha algo perigoso, sabe perfeitamente largar quando pedimos. Passear um cão é saber se ele é reativo a algo e/ou se tem medo de algum estímulo (como carros, pessoas, cães...) e ajustar os passeios em função dele. Passear um cão é dar-lhe liberdade para cheirar, parar, fazer buracos, correr, rebolar... é aceitá-lo como é e deixá-lo ser cão! Vejo muitas pessoas que apenas levam o cão à rua, mas não o passeiam realmente. Sonho com o dia em que cada cão e o seu tutor passeiem em conjunto, porque, acima de tudo, passear (não o cão, mas com o cão), deveria ser um momento de sermos felizes em conjunto, aproveitando a oportunidade de estarmos juntos e em sintonia, criando memórias e fortalecendo o nosso elo. Bons passeios!




12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo